Com o passar dos anos e o avanço da medicina, a equipe multidisciplinar se tornou cada vez mais importante para auxiliar os cuidados do paciente com câncer. Já é bem estabelecido que avaliação prévia e acompanhamento nutricional em qualquer modalidade de tratamento para o câncer pode prevenir desordens nutricionais, melhorar o status nutricional, auxiliar na resposta cirúrgica e na cicatrização, bem como trazer benefícios ao tratamento antineoplásico por atender aos cuidados de minimizar alguns efeitos adversos das medicações.

Como a nutrição pode auxiliar no tratamento do paciente com câncer:

  • Melhorando as alterações do intestino, principalmente a constipação intestinal;
  • Evitando o surgimento de aftas (mucosite), que dificultam a ingestão alimentar;
  • Evitando flutuações de peso.
  • Manejando náuseas e alterações de paladar.

O papel primordial do profissional nutricionista é sugerir e prescrever uma alimentação adequada, que tenha como foco o paciente em sua individualidade, valorizando sua situação clínica, os efeitos do tratamento, as mudanças físicas e respeitando as suas necessidades individuas.

Hoje em dia, se fala muito de alimentação, todo mundo sabe ou quer saber um pouco. A questão que devemos nos preocupar é o que realmente tem de verdadeiro e o que pode ser especulativo ou de interesse comercial.

É compreensível que as pessoas procurem alternativas no intuito de obter melhora ou cura do câncer, mas, muitas vezes, o que achamos que possa ser um benefício, sem conhecimento científico, acaba por vezes não beneficiando e impactando até de maneira negativa na terapia nutricional da doença. Sempre que a informação surgir e gerar dúvida, um profissional da área deve ser consultado.

Conforme o site do Instituto Nacional do Câncer (INCA), “não podemos atribuir a nenhum alimento específico o poder de curar; a alimentação saudável e equilibrada é o melhor suporte de prevenção e de tratamento”.

O que temos hoje claramente descrito e publicado, com revisão agora em 2017 é que o peso saudável e a alimentação adequada individualizada, preconizando as necessidades nutricionais individuais é a recomendação.

Uma alimentação colorida e variada, mantém o organismo mais sadio para enfrentar o tratamento, oferece qualidade de vida e ainda pode prevenir e amenizar alguns sintomas.

Seguem algumas dicas que podem auxiliar:

– Dispor de uma variedade de frutas em 3, 4 ou 5 porções ao dia e variando as cores, pela oferta de vitaminas. As mais cítricas podem causar aftas no período do tratamento, então sugere-se evitá-las nos primeiros 7 dias do tratamento quimioterápico.

– Farináceos devem ser mantidos na dieta, de preferência integrais, como pão com grãos, sementes, arroz e massa integrais, entre outros. Além do alto teor de fibras que melhora o funcionamento intestinal, controla o peso e tem uma oferta maior de minerais.

– Laticínios magros – não necessariamente os desnatados, mas com menor teor de gordura – podem estar incluídos na dieta.

– Higienizar bem frutas e verduras: utilizar 1 colher de água sanitária em 1 litro de água , deixar de molho por 15 minutos e depois lavar bem.

– Verduras e legumes em abundância de forma in natura, refogado ou cozido. Uma porção de crucíferas ao dia se torna favorável, como: brócolis, couve flor, couve, pimentão, repolho entre outros, pelo poder antioxidante.

– Dar preferência aos orgânicos é definidamente um bom cuidado para uma alimentação saudável.

– Ingerir líquidos, preferencialmente água (2 litros por dia). É essencial para a hidratação do corpo e para regular o intestino.

– Evitar o excesso de açúcar e doces na dieta, pois, além de serem calorias vazias, ainda podem aumentar as náuseas; deve-se priorizar um ou dois dias na semana para os excessos.

– As gorduras em excesso devem ser evitadas, pois além de contribuir para elevar níveis de colesterol e triglicerídeos, podem potencializar as náuseas durante o tratamento.

– As carnes, aves e peixes devem completar a dieta, preferencialmente magras, cozidas, assadas, grelhadas ou refogadas. Evitar as cruas ou malpassadas.

– Evitar alimentos processados demais, embutidos, excesso de corantes, refrigerantes, suco industrializados e sal em excesso.

– Acrescentar oleaginosas como: nozes, castanhas, amêndoas – 4 unidades ao dia promovem efeitos benéficos de saúde, além da melhora do humor e da fadiga.

Importante ressaltar que o dia-a-dia de hoje nem sempre nos permite manter uma alimentação adequada e balanceada o tempo todo; permitir-se fugir da regra, ás vezes, sem culpa, também traz benefícios a saúde mental.

 

A Monama nasceu do desejo de transformar o mundo em um lugar ainda melhor, onde seja realmente possível nutrir o corpo com o que ele precisa e ser feliz! Para fazer isso da melhor forma, disseminamos aos quatro cantos o conceito de que comer é um ato de cuidado e amor com nós mesmos e com a natureza. Reunimos o nosso amor por esse propósito aos melhores e mais selecionados ingredientes para fazer alimentos saudáveis, sem glúten, sem lactose, orgânicos e sem açúcar refinado. Temos opções para qualquer hora do dia, desde o lanche, com nossos deliciosos snacks, café da manhã com as melhores granolas e ingredientes para uma receita deliciosa e saudável.

 

PAIVA VIEIRA, Ariane. NUTRIÇÃO NO CÂNCER DE MAMA. Porto Alegre, [201-]. Disponível em: https://www.infomama.com.br. Acesso em: 2 out. 2019.